Páginas

Total de visualizações de página

domingo, 6 de fevereiro de 2011

História da Travessia da Lagoa da Barra

Eu tinha ficado muito p*t* da vida por que o óculos de espião (c0m camera escondida) que meu pai comprara na semana tinha quebrado com apenas um dia de uso. Fiquei nervoso e meu pai me deu um sermão por conta da minha reação.

Sai de casa batendo a porta. Desci pelas escadas os muitos andares do predio e desci pela lateral esquerda, saindo na direção da balsa que atravessa a lagoa Marapendi na altura da reserva, na praia da Barra.

Do pier eu olhei a lagoa e p*t* como estava achei que daria conta de atravessa-la numas braçadas. Pulei na água com roupa e tudo e comecei a nadar. Logo percebi que eu estava nadando contra a corrente da lagoa e percebi que a empreita seria muito mais séria do que eu tinha imaginado nos poucos segundos que pensei antes de pular na água.

Depois de muitas braçadas comecei a perceber que tinha mal calculado a travessia e que o pier do outro lado ficava muito longe, mas continuei. Terrores começaram a passar pela minha cabeça: crocodilos? Balsas passando por cima de mim (duas delas passaram ao meu lado), mas enfim eu não podia parar e continuei nadando.

As forças estavam começando a acabar e a respiraçao já era dificil. Me ví em apuros. E agora o que fazer? Bem, continuei nadando e finalmente vi o pier perto de mim. Um bom filho de Deus me deu a mão e me puxou para o estrado de madeira, alguns metros acima do nivel da água. Eu estava morto de cansado, mas tinha conseguido atravessar a lagoa.

Duas senhoras que esperavam a balsa ouviram o homem comentando que eu tinha sido muito imprudente ao atravessar a lagoa nadando e sozinho, e que, em decorrencia do final da jornada eu tivesse bebido agua daquele local, sempre cheia de resquicios da presença humana nas imediações.

Elas então perguntaram o telefone do meu pai e ligaram para ele. Pouco depois encontro com ele no outro lado da lagoa, no condominio Novo Leblon. Ufa! Ele, como pai, me deu mais um sermão e me levou no hospital para exames. A medica deu um remedio para eu tomar duas vezes ao dia e esperar as reações: diarreias, etc. Voltamos pra casa tarde da noite.

Esta foi minha aventura de férias. E me dei mal: alem de ter ouvido um sermão antes ouvi outro depois. Mas hoje voltei la com meu pai e mostre para ele o percurso. Ele estimou em 1,2 km. No google earth deu 884m em linha reta. Depois de novamente me alertar do risco ele fez um simbólico elogio: Se não fosse o risco que voce correu eu te daria parabens!

Assinado: O Filho do Cara

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário: