Páginas

Total de visualizações de página

domingo, 13 de outubro de 2013

DEUS


Quem acompanha o noticiário cervejeiro há algum tempo já deve ter ouvido a história de que, um dia, a Deus foi vendida a R$ 10 em uma das lojas paulistanas de uma conhecida rede de supermercados. Muita gente diz ter ouvido essa notícia de fontes confiáveis, alguns até juram ter comprado. Mas, até hoje, o fato tem cara de “lenda urbana” como o fato de gente que garante ter visto a final da Copa de 1950 no Maracanã. Teriam que ser uns 10 estadios para caber tanta gente...
O fato é que, desde que começou a ser vendida no Brasil por meio do Belgian Beer Paradise, há coisa de uma década, a Deus sempre teve status de cerveja de alto custo. Foi, por muito tempo, a mais cara entre as disponíveis no Brasil – batia na casa de R$ 250, mas era possível achar a R$ 200. Hoje, não é mais: seu valor se reduziu para a casa de R$ 140/R$ 150. Mas ainda figura no “top 10″ de valores, o que sempre despertou discussões sobre o quanto ela custava na Bélgica e no Brasil e, até mesmo, se ela “era tudo isso” para custar tanto.
Trata-se de uma belgian strong ale de 11,5% produzida pelo método champenoise. E, de fato, é bem interessante, justamente pela similaridade com o champanhe. Mas não é uma cerveja para o dia a dia (ao menos, não o meu). Tomei-a apenas uma vez na vida, hoje, nao por causa do preço, mas por que não tinha tido aquela vontade de experimentar...  
Continua sendo caro pagar R$ 109,90 pela Deus no Pão de Açucar? Sim, até porque há belas cervejas belgas de 750ml pela metade do preço. Mas é uma cerveja que vale a degustação, Não sei se apenas uma vez na vida, mas vale.

domingo, 29 de setembro de 2013

Mississipi Mud Beer

A garrafa é realmente um show, Parece um growler de vidro com o corpo de cerâmica, mas acho que é tudo vidro mesmo. O Rótulo pintado, quase na garrafa toda, também chama atenção com o grande jacaré feroz do pântano.
No copo um líquido rubi escuro indo para marrom, brilhante e translúcido. Espuma branca, de boa altura, boa consistência e excelente duração.
Os aromas misturam um pouco de cereal, malte, leve café e um toque de chocolate.
No sabor algumas novidades. Características leves de malte e cereal e mais café do que chocolate. Toques mínimos de torrado e amargor de lúpulo presente, mas bem de leve. 
Cerveja leve, de corpo baixo, boa carbonatação e, de alguma forma, diferente.
Nada de espetacular, apenas diferente.

Dama Beer

A “cerveja de trigo”, é um dos estilos de cerveja criado por mestres cervejeiros bávaros. É chamada assim, pois além do malte de cevada, ela leva malte de trigo na composição da receita. Pertence a família Ale. Suas principais caracterísiticas são a refrescância e versatilidade em harmonizações.
A Dama Weizenbier, apresenta coloração amarelada, possui natural turbidez, visto que parte da levedura não é retirada no processo de preparo. Possui aroma complexo passando por notas condimentadas e frutadas. No paladar apresenta sensação frisante, sabores condimentados e levemente frutados, resultando em um final com suave dulçor.
A mesa, weizenbier vai bem com salsichas, frutos do mar, aves, saladas, queijos como Gouda e Gruyére e sobremesa, por exemplo strudel de maça.

A Dama Pilsen possui cor dourada, aroma com personalidade maltada e suave notas de lúpulo. O sabor é predominantemente maltado, com médio amargor, gerando um bom equilíbrio e proporcionando uma bela refrescância.
Possui 4,8% de álcool e harmoniza bem com peixes, mariscos, saladas, comida japonesa e queijos, como a mussarela de búfala.

domingo, 22 de setembro de 2013